sexta-feira, 25 de maio de 2012

Morena Toada


 "Tanta saudade eu já senti, morena
Mas foi coisa tão bonita
Da vida, nunca vou me arrepender"
Toada - Boca Livre


Morena, não te chamo mais para ouvir minha cantiga. Vou sair só para uma vida aventureira. Seu choro e seu ciúme já não chegam nesse coração sereno. Nossa saudade já não é mais bonita. E essa cantiga vai se esquecendo no vinil. É, Morena, você que sempre esteve no sublime, que sempre foi artista, já não me encanta mais. Não me instiga mais. E aquele carinho, do vem aqui, não cabe mais na viola. Minhas cantigas não são mais tuas. E o Morena, tão poético, tão menino, que lhe dei, quero tomar-lhe. O que sobrou para ti é aquele lenço bordado para chorar com minha partida. Mas eu tenho outros lenços e eu tenho outras moças. É Morena, minha cantiga não será mais tua. Não quero suas lágrimas me acusando do que não fiz. Não quero medir mais meias palavras. Não existem meias palavras na música. Não serei mais teu. Vou me aventurar pelo mundo. É, Morena, você vai virar toada. Vou me aventurar pelo mundo.

Um comentário:

  1. Parece que cada frase foi sonhada pela angústia.


    um abraço

    ResponderExcluir